Se você entrou no mercado dos negócios por agora, talvez esteja um pouco confuso sobre o que fazer para que tudo se saia bem. Também deve ter notado que o Marketing oferece inúmeras fórmulas visando o desenvolvimento das empresas, mas nem sempre fica muito claro qual estratégia melhor se aplica ao seu negócio.

Nesse motim de pessoas que buscam estratégias que revolucionem suas vendas, há também aquelas que já estão gerindo uma empresa há algum tempo e buscam crescimento acelerado. No final, todos querem o mesmo: Vender mais e crescer mais.

É aí que o Growth Hacking entra. Esse termo pode soar incomum e até mesmo estranho, mas ele nada mais é do que uma forma de fazer Marketing através de ‘‘experimentações’’, ou seja, saber identificar possíveis falhas (e isso vale para todas as áreas que a empresa possua), e através disso testar formas de fazer com que aquele setor melhore e que isso reflita nas vendas. Ter criatividade para poder mudar e fazer diferença na forma como o público recebe aquela marca.

O Growth Hacking é a onda do momento! Vamos saber um pouco mais.

Origem e conceito

Tudo se inicia com Sean Ellis, que inventa o termo no momento em que usou técnicas para alavancar vendas em diversas Startups, e a isso denominou Growth Hacking. Inclusive começou a formar pessoas que realizassem esse mesmo trabalho observando que o crescimento que havia promovido pelas empresas onde passava, desacelerava com o passar do tempo.

Startup é simplesmente uma empresa recém-criada pertencente a qualquer ramo da indústria. Essas empresas têm a vantagem de poderem testar novos métodos, novas métricas, novas formas de trabalhar, etc., pois, o fato de serem novas no mercado dá a elas oportunidades de inovarem mais, se compararmos empresas que já funcionam há anos e que podem perder muito se não souberem fazer a aplicabilidade correta do Growth Hacking.

Sean Ellis, é hoje, simplesmente a maior autoridade quando o assunto é Growth Hacking, é também conhecido como o primeiro profissional de marketing do Dropbox, entre outros trabalhos igualmente relevantes.

O termo faz referência a uma figura, que no Brasil, é vista com maus olhos: a figura do Hacker. Aquele sujeito que encontra falhas na segurança de sistemas e os invade para roubar senhas, e-mails, dados em geral.

O Hacker no qual estamos descrevendo aqui, é um hacker do bem. Sua função é encontrar ‘’brechas’’ onde possa aplicar métodos que otimizem e gerem respostas e resultados rápidos de crescimento para os negócios. E isso não tem apenas a ver com a área do Marketing, e está aí uma das grandes sacadas do Growth Hacking, ele é amplo, e pode ser dirigido a qualquer área da empresa onde se enxergue chances de aplicar experimentos que gerem resultados positivos.

Não há uma tradução literal para o termo, podemos deduzir que Growth Hacking significa encontrar brechas para o crescimento.

Growth Hacking e Marketing Digital trabalham juntos

O Growth Hacking é relativamente novo por aqui, sua visibilidade maior está em países onde a produção industrial acontece de forma mais efervescente e demarcada; Estados Unidos, por exemplo.

Desenvolve um papel multifacetado dentro das empresas podendo atingir a parte de finanças, produto final, o próprio desenvolver do produto, etc.

Quando o Hacker decide que é a área do Marketing que merece uma maior atenção, é o Marketing Digital que entra em ação, já que comprovadamente o mais eficaz, tendo em vista a forma como se faz comércio nos tempos atuais, e pela economia gerada, pois, é uma das formas mais baratas de se fazer propaganda.

Assim, a metodologia Growth Hacking entende que a produção de conteúdo é ferramenta obrigatória se se busca impactar o público alvo. Também como a criação de blog e de uma identidade para a empresa, postagens em redes sociais e investimentos nas redes digitais.

Como tudo se trata de experimentações e testes, é dado uma importância ainda maior à análise de dados. Adotar métricas de conversão é fundamental para o Growth Hacking, pois o trabalho ocorre com base nos resultados advindos de tais experimentações, que podem ser desde um anúncio mais colorido, ou uma landing page mais simplificada que facilite o preenchimento de dados, etc.

A análise que as métricas fornecem é o que irá direcionar quais outros experimentos serão feitos.

Por onde começar?

Existem duas possibilidades de aplicabilidade do Growth Hacking. Uma delas é aplicar novos processos e a outra é otimizar processos já existentes na empresa.

Ao decidir por um deles é importante que não se perca o foco sobre o objetivo que se tem em mente, mas é igualmente importante saber refletir, se basear em experiências de fora que deram ou não certo, estudos, ou consultorias, para que o tempo e o dinheiro investidos não sejam jogados fora e para que o crescimento se torne escalável.

Você pode estudar como o Growth Hacking funciona e começar a trabalhar, ou você pode contratar um Hacker especialista no assunto. Isso vai depender da sua confiança.

Como se tornar um Growth Hacker?

Para se tornar um Growth Hacker você deve ter alguns conhecimentos específicos. A área onde ele atua é bastante ampla, então aconselhamos que você domine ao menos duas e vá estudando outras conforme o tempo for passando e você for vendo os resultados adquiridos.

Já vimos que dominar métricas é muito importante. O google facilita bastante esse processo ao disponibilizar o Google Analytics, um gerador de cálculos correspondente às ações praticadas no seu blog; quantas visitas têm recebido, quantas pessoas têm clicado em outros links dentro do mesmo, etc.

Conhecimento tecnológico é essencial para ser um bom profissional de Growth Hacking, entender a teoria do marketing, metodologias de experimentos, processos, e toda a área técnica que envolve a aplicabilidade de estratégias.

Algo bastante significativo é estar por dentro do universo do consumidor, tudo que o envolve, inclusive psicologia. Para esclarecer este ponto falaremos sobre a jornada do cliente, o processo pelo qual passam os clientes na hora em que estão decidindo se vão efetuar uma compra.

O Funil de Vendas do Growth Hacking

O Funil de Vendas é um nome bem comum no meio do Marketing Digital. É composto por etapas que guiam o processo de produção de conteúdo com o intuito de gerar interesse a um público específico. Etapas essas que são consideradas, já que nem todos que acessam sua página da web estão querendo comprar um produto de cara.

O Funil no Growth Hacking serve de parâmetro para que se divida as métricas de acordo com a fases, é uma forma mais simples de fazer medições que atestem a eficácia ou ineficácia de um conteúdo.

Como o Growth Hacking é especialista nas Startups, as mesmas normalmente desenvolvem um funil composto por 4 estágios:

1 – Prospects

2 – Leads

3 – Oportunidades

4 – Clientes

O Prospect é alguém no qual recebeu essa classificação por representar quem a sua marca ‘’fisgou’’; esse internauta já é um consumidor dos seus conteúdos e tem-se algumas informações a seu respeito. A equipe de vendas o classifica então como um Lead; a partir daí, o lead é passado para um executivo de contas que afunila ainda mais o processo, investindo para que esse Lead feche o negócio. Por fim na última fase, ele se tornou cliente e agora investe-se em pós-vendas.

O Growth Hacker desenvolve ações para que se melhore uma das fases desse funil. Por exemplo: O problema está na visualização do seu site? As pessoas não chegam até ele? Hora de investir em designer e conteúdo de qualidade. Seus prospects não completam ações no seu site? Reveja os direcionamentos que seu site está dando, se as informações estão claras. Na fase da oportunidade, quer que o número de potenciais clientes cresça? Invista em vantagens e facilidades para gerar atração e preferência entre eles…. Esses são apenas exemplos de observações que você pode fazer. Se há defeitos em todas as fases do funil, então repagine todo o funil!

O Funil de Vendas pode variar bastante, sua classificação não é única e paradigmática, podendo variar de acordo com o tipo de negócio. Importante é que ele exista e possa servir como eixo para direcionar conteúdos que gerem atração para os internautas, fazendo com que o crescimento aconteça e se expanda.

Fundamental para o Growth Hacking? Métricas!

Se você não sabe o que são métricas, é bom se informar o mais rápido possível, pois é peça fundamental para saber o que vai bem e o que vai mal em suas estratégias.

Monitoração deve ser uma constante quando o assunto é vender, parece óbvio para alguns, mas muita gente que está entrando por agora no mundo dos negócios, ainda desconhece essa premissa.

Você deve estabelecer métricas para medir qualquer mudança que se queira aplicar em seus negócios. Para uma venda ser boa não é necessário apenas que se bata a meta, mas conhecer os processos que foram realizados para que essa meta tenha sido batida.

Só há meios de otimizar processos, se houver resultados e avaliações em mãos. E já aprendemos que otimizar processos é uma das ferramentas utilizadas pelo Growth Hacking.

Veja alguns exemplos de métricas a serem tomadas para que você entenda melhor:

– Taxa de Conversão

A conversão acontece quando um visitante passou por toda a fase do processo até se tornar cliente. A taxa de conversão permite verificar quantas vendas foram realizadas, e com isso avaliar o desempenho daquela estratégia e se há formas de otimizá-la; ou se criar outra estratégia será mais vantajoso.

– Taxa de Rejeição ou Bounce Rate

A taxa de rejeição ajuda a identificar possíveis falhas que possam estar havendo no seu site. É através dessa métrica que é indicado quantas pessoas estão te acessando e quantas não passam da primeira página. O baixo número de acessos, pode significar uma infinitude de coisas que você precisa estar atento.

– Cálculo de ROI

O ROI nada mais é do que a taxa de retorno do seu investimento. É relevante na medida em que permite que você saiba o real lucro que suas estratégias estão lhe fornecendo ou não. É importante estar por dentro disso para que não se perca de controle do dinheiro investido.

Conclusão

Ainda há muito a ser explorado em se tratando de Growth Hacking. Como já foi dito, a metodologia pode ser aplicada em qualquer área da empresa em que haja uma brecha de implantação de testes para melhorias. O que fizemos aqui é um apanhado que acreditamos ser um pontapé inicial para você aos poucos ir notando certas tendências da sua empresa e ir mostrando suas ideias.

Ideias e mais ideias são pontos chaves, não tenha receio de explaná-las, deixe a criatividade fluir e faça a diferença.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.