A história da Apple começou com dois jovens hippies da Califórnia que sonhavam em levar o computador para as casas das pessoas. Steve Jobs e Steve Wozniak faziam parte, em 1976, de um grupo que produzia seus próprios computadores pessoais de maneira artesanal. Apaixonados por inovação, eles acabaram criando a Apple Computers Inc., que originou o Apple I, um projeto ousado de computador para aquele período, mas que foi recusado por companhias de destaque, como a HP e a Atari.

Um sonho que se transforma em realidade

Na esteira do Apple I, em 1977 foi lançado o Apple II, que fez bastante sucesso, ainda que custasse 1,2 mil dólares à época, o equivalente a 10 mil dólares nos dias de hoje. Ele vinha em um gabinete de plástico e possuía teclado incorporado, muito semelhante aos computadores que viriam depois. O modelo foi tão bem recebido que seguiu em alta até os anos 1990.

A partir deste modelo, a Apple passou a investir fortemente em computadores com interface gráfica e mouse. Em 1983 foi lançado o Lisa, um computador que possuía 1MB de memória RAM, dois drives de disquete, disco rígido de 5MB e um monitor de 12 polegadas. Como se vê, um enorme avanço para a época. O problema era o seu preço: 10 mil dólares. Porém, esse experimento serviu para elaborar o Macintosh, em 1984.

O sucesso deste modelo, no entanto, trouxe instabilidade à organização, que acabou demitindo Jobs e Wozniak. Seus computadores perderam as características que chamavam tanto a atenção dos consumidores, levando a Apple a uma fase de declínio acentuado. Somente em 1991, com o lançamento do PowerBook, o primeiro computador portátil, que a companhia recuperou parte do prestígio e do dinheiro.

O retorno de Steve Jobs

Na segunda metade da década de 1990 Steve Jobs volta à Apple, após a empresa adquirir a NeXT, que Jobs havia aberto após a saída da Apple e já conseguia fazer dinheiro. Com Jobs de volta, ocorreram transformações profundas que recuperaram de vez a organização. Vários computadores deixaram de ser produzidos, ao mesmo tempo em que os produtos seguintes passaram a apostar em design inovador e em alta tecnologia.

Em 2001, a Apple lançou o iPod, provocando uma revolução no mundo da tecnologia e do consumo de música e vídeo. O player portátil de áudio e vídeo tinha vários tamanhos e capacidades de armazenamento, atendendo a todos os gostos. O iPod virou uma febre e fez a Apple voltar ao topo.

O MacBook, famoso laptop branco da empresa, foi um sucesso entre o público em 2006, por levar o processador Intel – que garante mais rapidez, estabilidade e é compatível com os produtos da marca – e recursos bacanas por um preço bastante em conta.

Outro produto que ajuda a manter a Apple em voga nos últimos anos – mesmo após a morte de Jobs em 2011 – é o iPhone, um smartphone com tecnologia de ponta e funções avançadas e de alta qualidade em câmera, áudio, internet, entre outros. A cada novo lançamento do iPhone, muitas pessoas correm para trocar seu aparelho pela novidade, e a Apple nunca decepciona, sempre trazendo inovações.

Você gostou deste artigo? Deixe aqui seu comentário!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.